Harri Gervásio

harriconfia@farrapo.com.br

O Caçapavano, Harri Goulart Gervásio é um profissional liberal, formado em Economia pela Universidade Federal de Santa Maria, Pós-Graduado em Administração de Empresas pela UFRGS e Pós-Graduado em Gestão Empresarial pela URCAMP. Técnico em Transações Imobiliárias pelo Senac.

vendeseconfianca.com.br


Email: harriconfia@farrapo.com.br
 
     

Paradigma, de origem grega parádeigma, significa "modelo padrão". Em linguagem corporativa, "quebrar paradigmas" é substituir padrões antigos por padrões novos. De tempos em tempos acontece uma quebra de paradigmas, deixando de ser citado e que antes serviam para justificar teorias e fatos. Tinha aquele que falava que com o andar da carroça as aboboras se ajustam. Queria dizer que com o tempo as coisas iam, de forma muito devagar, se ajustando até chegar ao ponto ideal. Durou até que os japoneses conseguiram desenvolver uma abobora quadrada, que ficava certa no momento exato que fosse colocada para o transporte. E aquele outro que dizia que em pata de cavalo e barriga de mulher nunca se aposta como definitivo. Nas mulheres surgiu o ultrassom que veio desmitificar o sexo da criança, fazendo com que os pais deixassem de fazer provas e simpatias para adivinhar se era menino ou menina. Pois agora o Brasil veio contribuir decisivamente para acabar com mais um paradigma. “O crime  não compensa!” As delações do pessoal da JBS quebrou este paradigma pois usaram e abusaram dos políticos brasileiros, comprando meio mundo, receberam o nosso dinheiro de graça para enriquecer e estão livres e soltos, morando nos Estados Unidos, desfrutando de uma das maiores fortunas do mundo.  O crime compensa sim! Ficou acertado que, de agora em diante, nenhuma ação poderá ser imputada a eles, foram perdoados de tudo que fizeram. Tudo isto pela boa vontade de relatar e provar as falcatruas que fizeram ou forçaram os brasileiros a fazer. De quebra se comprometeram devolver uns míseros bilhões o que para eles é quase nada. Nesta altura do campeonato estão rindo e gozando da estratégia bem sucedida, um verdadeiro golpe de mestre. Jogaram tudo no ventilador e foram embora deixando aqui um verdadeiro pandemônio com resultados incalculáveis para a nação e para os brasileiros. É um alimento na crença de que o crime compensa. O pessoal da Odebrecht está preso e os da JBS fazendo festa.  Isto é justiça?

E agora José?
A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora José? Estes versos do poeta Carlos Drummont de Andrade que foram escritos durante a segunda guerra mundial e da ditadura de Vargas, mostram uma visão pessimista do cotidiano, sem rumo, sem saber para onde ir. Se parece muito com o momento atual do povo brasileiro. Neste exato momento que este texto esta sendo escrito tudo pode ter mudado. Ninguém sabe se o comando da nação vai continuar com o atual presidente ou vão acontecer mudanças. O Poder Legislativo está seriamente comprometido pelo envolvimento em delações de corrupção. O judiciário diverge entre si e já tem membros comprometidos. E as reformas propostas e necessárias vão continuar? Mais uma vez é bom afirmar que a economia esta diretamente atrelada a politica e como a instabilidade politica é enorme, a economia sofre um duro golpe. Tenham a certeza de que a recuperação econômica que começava a acontecer fica comprometida, e se continuar deve ser num ritmo mais lento. PIB positivo ou recessão? Esta nem com muita coragem se responde, mas se demorar a resolver o imbróglio politico, volta à recessão. Quais as previsões para juro, dólar e inflação? O juro é provável que caia mais devagar o fique onde está. Se acontecer cortes na Selic, estes serão menores do que os programados.  O dólar se manterá em torno de R$ 3,20 e a inflação deve permanecer baixa devido o desaquecimento da demanda. Com estas incertezas é bem provável que a taxa de investimentos seja reduzida tanto dos programados por aqui como aqueles que estavam chegando, ou seja, aquilo que já era pouco vai diminuir. Com este quadro, o suspiro positivo no emprego deve ser arrefecido, voltando o quadro de penúria. Pode acontecer aumento na taxa do desemprego! Seria bom que o desarranjo politico fosse resolvido no curto prazo, porque aí seria possível fazer projeções mais seguras. Hoje a situação é imprevisível. Alguns falam em caos institucional. Enquanto isto, ficamos agarrados apenas na esperança!

O que fazer?
Em primeiro lugar é importante o posicionamento pessoal de acreditar e apostar que a justiça vai agir corretamente, fazendo as leis e a constituição serem cumpridas. Sem isto é o caos e este é o pior cenário possível. Volte a analisar o seu orçamento, pois a coisa pode piorar. Mantenha seus investimentos e controle as suas dividas, evitando novas. Procure estar bem informado e fuja de analises e comentários partidários. Esteja preparado porque de uma forma ou de outra você vai pagar parte deste prejuízo Por ultimo reze, reze muito, para evitar mais um ano perdido.

Luto
Tristeza pela passagem da querida colega Hilda P. Motta.

Pense
É bem melhor pensar sem falar do que falar sem pensar.

Dados de 26/05/2017

Salário Mínimo
Salário Mínimo Nacional = R$ 937,00 -  R$ 31,23 p/ dia e R$ 4,25 p/ hora.
Salario Mínimo Regional = R$ 1.175,15/ 1.202,20/1.249,47/1.278,03/1.489,24

Construção Civil – abril de 2017. 
CUB/RS – Sinduscon/RS 
      Residência Unifamiliar (normal) – R$ 1.691,38 m2. / variação 12 meses =  4,05%
      Residência Multifamiliar (normal) – R$ 1.389,53 m2. / variação 12 meses = 3,97%
Custo Nacional da Construção Civil –  Sinapi – IBGE
      Brasil = R$ 1.117,21  /  variação  12 meses = 5,36 %
      Rio Grande do Sul = R$ 1.100,78 m2  /  variação 12 meses = 4,79%
Mão de obra (Sinduscon)
      Pedreiro = R$/h 6,66
      Servente = R$/h 5,17

Taxas de Inflação – Índices de Preços – abril de 2017
IGP–M (FGV) = -1,10%  / acumulado 12 meses = 3,37%
INCC-M ( FGV)  =  -0,08% / acumulado 12 meses = 5,35 %
IPCA (IBGE)  =  0,14%  /  acumulado 12 meses  =  4,57%
INPC (IBGE)  =  0,08%  /  acumulado 12 meses  =  3,99%
IPC (Fipe)  =  0,61%  /  acumulado 12 meses  =  3,71%
IPC (IEPE)  =  0,31%  / acumulado 12 meses  =  3,44%

Reajuste de aluguéis  (exemplo) – Anual, corrigido por um índice de inflação escolhido pelas partes, acumulado dos últimos 12 meses. 
Ex: Aluguel R$ 200,00(12º. mês mar.) + 5,35% (INCC-M) = Novo valor (mai) = R$ 210,70

 

Rendimentos da Caderneta de Poupança – maio

26  = 0,54%    27  = 0,58%   28=  0,52%  e  29 = 0,57% 

         
Taxa Selic = 11,25% a.a.      Taxa de Juro de Longo Prazo (TJLP) = 7,0% a.a.


Salvo erros de grafia.
  123363  
ARTIGOS ANTERIORES

- Garimpando boas noticias
- Banco dos Bancos
- Fundo do poço
- Encrencado
- Sinal de novos tempos?
- Enterrando e desenterrando garrafas
- Incerteza Global
- Fogo, Água e Confiança
- Seria fácil
- A culpa é sua
- Feliz Ano Novo
- Voltando
- Acabou
- Mudanças?
- A importância da gestão
- Que país é este?
- Andando para trás
- E agora Josés...
- Garimpando
- Saco vazio
- Gigante balançando
- A estória do fracasso
- Trocando o chip
- A importância da gestão
- Explicando
- Crescimento econômico
- Lutando por empregos
- Revoada das verdinhas
- E agora José
- O custo da incerteza
- Politica do Pão e Circo
- Nem tudo que parece é
- Dando um jeitinho
- O tamanho do Estado
- Traçando caminhos
- Dados que assustam
- Divórcio no pior momento
- Acabou a farra
- Eleições já?
- A dança das cadeiras
- Examinando o buraco
- O tamanho do buraco
- É só conversa
- Fato novo
- Cuidado
- Tristeza
- The Day After
- Nunca visto
- Para onde vamos
- O papel aceita tudo
- Os desafios da crise
- Recessão a vista
- A força da politica.
- Voltando
- Feliz 2020
- Fato novo
- Conhecendo as feras
- A hora do espelho
- Mau gestor
- Pessimismo
- Sonho
- Fogo amigo
- A rapa do tacho
- Procurando o mais barato
- Casar ou comprar uma bicicleta?
- Papéis que viram lixo
- Como tapar o furo?
- Com ou sem maquiagem?
- Black Monday
- Salve os malabaristas
- Grécia
- Eles podem
- Estar na mídia
- Aquele 10 que ninguém deseja.
- O que fazer agora?
- Plantar e colher
- A Presidente continua pedalando
- Olha o calote
- Para onde ir?
- Fotografia pronta
- Treineiros
- Avestruz
- O importante é quem diz
- Piorar para melhorar
- Locomotiva parada
- Videntes
- Pibinho
- Pode piorar ainda mais
- A culpa é das estrelas. Será?
- Condições ideais para tempestades
- Olhando no retrovisor.
- Fazendo o mais fácil.
- O calote permitido.
- Caçapava precisa voltar a ser ...um bom local de se viver
- Ruídos do desenvolvimento.
- Mais cerveja, menos petróleo.
- Nua e crua.
- Sonhando com as férias.
- O que fizeram com a Petrobras.
- Quem será o cara?
- Será que foi por acaso?
- E agora Presidente?
- Depois da batalha.
- Nobel de Economia.
- No intervalo do primeiro tempo.
- O momento.
- Tirando leite de pedra
- Em quem acreditar?
- O bolso decide.
- A culpa é da Copa.
- Vitamina ou remédio?
- Falar é fácil.
- Respingos da guerra.
- Fui e voltei
- Vergonha.
- Para onde vamos?
- Plano Real
- Além do arco-íris.
- No mato e sem cachorro.
- É muito difícil escapar da recessão
- Como contestar números?
- O Rio Grande tem saída?
- Cobertor curto.
- A Brazuca despenca.
- Ciclo político.
- Ano perdido.
- Nas mãos de São Pedro.
- Carregando merengues.
- O que fizeram com a Petrobras?
- A fraqueza do gigante
- Investir pra que?
- Pão e circo para o povo.
- Governo autoriza novo aeroporto em Caçapava
- Fui e voltei.
- Fui e voltei
- Examinando o ano de 2013.
- A realidade dos municípios.
- O cara ou a cara?
- Em que acreditar?
- A Miss e o papel higiênico.
- Alem do Horizonte.
- Temos em falta.
- Deitado em berço esplêndido.
- Chato
- Locomotiva fora dos trilhos
- Locomotiva empacada.
- Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?
- Procura-se padrinho.
- A fada do dente.
- O Gigante de barbas de molho.
- Procura-se mágico
- Pesquisar pra que?
- Eles faturam e nós pagamos.
- A Grande Desaceleração.
- Mantega virou piada.
- Assuma o seu negócio.
- Coisa para o povo entender.
- Continua enrolando.
- Engambelando
- Hospitais padrão Fifa.
- A verdade apareceu
- Procuram-se bons indicadores.
- Pobreza de que?
- Desacordo cortês
- Lutando com o Dragão
- Falta boca e trombone.
- Voltando ao assunto.
- O novo vôo da Fênix
- Momento de indecisão.
- Efeito Daniela
- Amostragem de 2013
- Salvando o Brasil.
- Pegadinha
- Salário Mínimo
- Verdades na Economia
- Comunicadores
- Caçadores de tesouros.
- A força do poder.
- Voltando
- Indicadores de Confiança
- Indicadores de Confiança
- O melhor ainda está por vir
- Indicadores de Confiança
- De olho em 2013.
- Economia na chupeta.
- Os elefantes brancos estão aí
- Jeitinho brasileiro.
- Agora é real.
- De orelha em pé.
- Durou pouco
- Agora é real.
- Cadê o amor pelo partido?
- Dança dos Números
- Para baixo e para cima.
- Com crise ou sem crise.
- A farra e a ressaca.
- Crianças trabalhando
- Os tentáculos amarelos.
- Voltando
- Indicadores de confiança
- Indicadores de confiança
- Indicadores de confiança
- O inferno astral da Espanha
- Já dançou ou vai dançar
- As faladas sacolinhas.
- Futurologia.
- Pimenta nos olhos dos outros é colírio.
- Bateu o desespero!
- Vai e volta
- Não minta para mim, Argentina!
- Feliz Ano Novo.
- Brasil no limite.
- Fui e voltei.
- A dança dos números - Caçapava do Sul, o ano de 2011.
- PIB de Caçapava do Sul em 2009.
- Economizando papel higiênico.
- O fenômeno.
- Manchando sonhos.
- Nada dura para sempre.
- Realidade confiável.
- Faça como a maioria.
- Tem SILVA e tem silva!
- Nadando em dinheiro.
- Gestores pára-quedistas.
- O otimismo é um defeito.
- Segure o seu emprego.
- Pensando melhor.
- Tempo de plantar e tempo de colher.
- As piores estradas do mundo.
- Cerveja faz bem para os ossos.
- Sumiram 22 caçapavanos.
- O DILeMA da DILMA.
- Outra locomotiva esta parando
- Cadê os caras pintadas?
- Com as calças na mão.
- Trocando fritas por maçã.
- A batalha e a guerra.
- O cambalear do gigante.
- A globalização existe.
- Elas estão tomando conta.
- Números
- Atirando para todos os lados.
- O jornal e o radio.
- Perigo para os namorados!
- Você acredita em milagres?
- O reinicio do baile.
- A herença
- Acabar com a pobreza.
- Ficando com a taça.
- O segundo mergulho.
- Escutório
- Águia ou galinha.
- O perigo do álcool
- De cabeça para baixo.
- O paraiso é aqui
- A fonte está secando.
- O gigante amarelo
- Voltando
- A dança dos números.
- O Grande Desafio.
- Apreendendo a lidar com dinheiro.
- Teve coragem e fez.
- Marionete
- O dono do cofre
- Procura-se celular.
- O hoje e o depois de amanhã.
- Elas estão podendo!
- Truque contábil.
- Que Fase!
- Olha a guerra ai gente
- Indicadores de confiança
- A verdade apareceu.